Sinceridade no trabalho

 

 
Victória: Eu vou a uma reunião com meu pai e já volto. Se meu marido ligar diz que estou ocupada.
Pâmela: Deixa comigo, a senhora do caso da tapeçaria ligou de novo.
Victória: Essa velha! Ela não para de me encher, o que ela falou?
Pâmela: Falou que se vencer o caso ela dá mais 10% do que conseguir.
Victória: Mas ela só está pedindo uma cortina nova... 10% de uma cortina... Bloqueia a linha dela. Tenho que ir agora.
Pâmela: Pode deixar que eu cuido de tudo.
 
(Victória sai e Pâmela pega o telefone imediatamente)
 
Pâmela: Oi amor!
André: Oi linda, como você está?
Pâmela: To cheia dessa chefe maldita. Ela sai para as reuniões com o pai dela e me deixa aqui... Não tenho nada para fazer... A única pessoa que ligava era uma senhora querendo uma cortina nova, o bloco de recados está em branco até hoje.
André: Que ruim amor...
Pâmela: E o que você está fazendo?
André: Estou jogando vídeo game.
Pâmela: Não vai para a faculdade hoje?
André: Sim, claro que vou, tenho prova hoje.
Pâmela: Então vai estudar! Vai ficar até que horas jogando isso?
André: Já estudei amor, não se preocupe.
Pâmela: Ta... Mudando de assunto, você acredita amor, que o pai da minha chefe é dono de todos os consultórios de advocacia de onde eu trabalho. Parece que tem mais uns quarenta espalhados pela cidade. E ele colocou um quadro enorme com a cara dele aqui, bem na parede atrás de mim. To vendo a hora que isso vai cair...
André: Mas esse quadro está muito perto de você?
Pâmela: Sim, tenho que tomar muito cuidado para não esbarrar nisso.
André: Não tem outro lugar para você colocar não? Qualquer prego na parede serve...
Pâmela: Nossa! Amor, não tinha pensado nisso e tem mesmo um quadro bem menor na outra parede, eu posso trocá-los de lugar.
 
(Pâmela levanta da cadeira com o telefone preso entre o pescoço e o ombro direito, ela tenta levantar o quadro do pai da chefe.)
 
Pâmela: É pesado, vou tirar o outro primeiro... Pronto, amor, você está ai?
André: Estou sim amor... Só estou concentrado no jogo.
Pâmela: Ok amor, vou tirar o quadro pesado agora...
 
(Pâmela consegue remove-lo da parede com esforço e se dirige cuidadosamente para a outra parede)
 
André: GOOOOOOOOOOOOLLLLLLLL!!!!!!!!!!!!!!!!!!
(Pâmela deixar o quadro cair em cima do pé esquerdo, ele cai no chão e quebra.)
 
Pâmela: Desgraçado!!! Olha só o que você fez!
André: Eu fiz gol amor!
Pâmela: E me fez derrubar o quadro com seu berro! A moldura saiu toda. Como é que eu concerto isso?
André: Amor, tenho que ir para a faculdade, já estou atrasado. Beijo.
Pâmela: Seu filho da P...
 
(Telefone mudo. Pâmela junta a moldura e tenta encaixar, consegue mas fica frouxa. Não consegue levantar o quadro muito bem e quando o apóia na parede original, fura a testa do pai da chefe com o prego preso da parede. Antes de poder arrumar, percebe que Victória está chegando pelos paços. Ela volta para sua mesa. Victória entra.)
 
Victória: Maldito! Eu vou matar aquele velho!
 
(Victória vê o quadro do pai com um furo do prego na testa dele.)
 
Victória: Por que tem um prego na testa do meu pai?
Pâmela: Oi?
Victória: O prego na testa do meu pai! O que aconteceu?
Pâmela: Não sei, já tava assim quando cheguei.
 
(Victória tira o quadro do pai da parede e leva para seu escritório, fecha a porta e joga o quadro no chão de raiva, ele desmonta inteiro e pedaços da moldura voam e rasgam parte da cortina de sua sala. Ela abre a porta e se dirige a Pâmela)
 
Victória: Me passa o telefone da velha do caso da tapeçaria. Vou querer aqueles 10%.
 

 

Enquete

Você gostou da cena "Sinceridade no Trabalho"?

Eu ri muito! (2)
50%

Eu ri. (1)
25%

Eu gostei. (1)
25%

Não gostei. (0)
0%

Não li. (0)
0%

Total de votos: 4

Comentários:

Sinceridade no trabalho

Pâmela Carvalho | 16/02/2011

Quando se tem uma imaginação como a minha, não tem como não rir. Gostei muito.

Novo comentário