Nas ondas de Rhodes

 

 

   Venília: Será que será hoje?

   Alécia: Não sei, tomara que sim...

   Venília: Já faz tanto tempo, até acostumei com a demora...

   Alécia: Sim, até perdi a conta dos anos, mas seria ótimo se eles viessem hoje...

   Venília: E como, seria tão bom sair desta praia pelo menos uma vez... Nós duas não paramos de olhar para o horizonte onde o sol nasce, até esqueci as cores dos coqueiros da praia...

   Alécia: Sim, dia após dias, noite após noite, não importa o que, estamos aqui, esperando que eles cheguem...

   Venília: Pena que ela não falou quando eles chegariam, seria tão mais fácil...

   Alécia: Sim, Moneta apenas disse que eles chegariam no mesmo dia, na mesma hora e aqui...

   Venília: E que se alguma de nós saísse da praia o pedido seria desfeito. Mas minha vontade mesmo é de ir falar com ela, perguntar por que eles não chegam!

   Alécia: Não... Já esperamos muito para que o desejo seja desfeito, já pensou se eles estão para chegar quando você resolve sair? Por favor fique, pelo menos ainda temos uma a outra.

   Venília: Tudo bem, eu não saio então, desde pequenas estamos juntas e não será agora que te deixarei...

   Alécia: Se lembra de nossas brincadeiras de criança? Nossas mães ficavam furiosas conosco, sempre íamos para a praia, nadávamos juntas, de noite acendíamos uma fogueira, cantávamos dentro das águas e pulávamos ondas sem parar.

   Venília: Nossa casa sempre foi mais a praia do que nossas próprias casas. Engraçado, nunca pensei que um dia iria desejar sair de uma, ainda mais contigo junta de mim...

   Alécia: Verdade, desde que a nossa preocupação se tornou outra e não mais a nossa amizade, tudo ficou assim, meio estranho, passando lentamente... Quando criança, o dia parecia ter apenas cinco horas no máximo, hoje ele aparenta ter mais de trinta...

   Venília: Você acha que foi erro nosso acreditar no que as pessoas falavam? Que a verdadeira felicidade seria encontrar o amor da nossa vida?

   Alécia: Não sei se foi erro, mas sei que foi por acreditar nisto que estamos aqui esperando...

   Venília: Moneta irá nos revelar o amor de nossas vidas, quer dizer, foi isto o que pedimos a ela. Mas até agora não há sinais de que nosso desejo tenha sido concretizado... Eles podem ainda chegar só daqui mil anos, quem sabe...

   Alécia: Não seja pessimista, sinto que eles estão para chegar, talvez seja hoje que conheceremos nossos amados...

   Venília: Você repete isto todas as manhãs... De alguma forma eu sempre acredito em você, como sempre acreditei.

   Alécia: Vamos fazer assim, se eles não chegarem até a amanhã, aproveitamos que amanhã também será noite de lua cheia e pedimos para acabar com este tormento, para que eles cheguem logo.

   Venília: Fazemos isto todas as noites de Lua cheia e nada mudou...

   Alécia: Quem sabe não será amanhã que ela nos ouve?

   Venília: Você sempre tão esperançosa...

   Alécia: É que eu acho que realmente acredito no verdadeiro amor, quero viver isto e quero que você também viva comigo, por isto te propus que fosse fazer o desejo comigo, mas desculpa se isto tem sido um tormento para você...

   Venília: Não, não se preocupe com isto, você fez tanto por mim, sempre se sacrificando para me ajudar e ainda me trousse a oportunidade de ser feliz, só espero que depois que eles cheguem nós não nos separemos...

   Alécia: Não, isto eu aposto que nunca, não tenho coragem de ficar longe de você, você é a minha melhor amiga, não vou te abandonar...

   Venília: Se lembra dos nossos sonhos? De quando a gente ouvia falar de amor?

   Alécia: Claro, continuo revivendo os sonhos todos os dias em que esperamos, é isto que me mantêm tão esperançosa.

   Venília: Correr pela praia de mãos dadas, mergulhar profundamente se beijando, dançar nas águas rasas, catar conchas pela costa...

   Alécia: É como voltar a ser criança. Será que é isto que o amor faz, nos transforma em crianças novamente, será este o poder do amor, de rejuvenescer até os mais antigos?

   Venília: Pelo o que falavam, parece que é sim. Mas não há como ter certeza, nunca namoramos, nunca sentimos falta de outra pessoa...

   Alécia: Sim, nossa amizade ocupava o dia todo, não precisávamos pensar em outras coisas... Mas tudo voltará ao normal assim que eles chegarem, tenho certeza de que a vida será boa novamente.

   Venília: Sim, com a chegada dos nossos amores, isto é, se eles chegarem...

   Alécia: Eles chegarão sim... Sinto que sim...

   Venília: Será que Moneta atendeu o nosso pedido? Já faz tanto tempo...

   Alécia: Eu espero que sim... Não sei até quando terei esta esperança...

   Venília: Ainda acho que um dia sairemos daqui só nós duas... Sem ninguém...

   Alécia: Não, isto não... Eu quero esperar, sinto que eles chegarão...

   Venília: Se você diz, acredito em você... Eu adoro este esverdeado da água...

   Alécia: Eu também, e quando o sol nasce fica mais bonito ainda, a água fica cristalina... Me vejo correndo para meu amor pisando nestas águas...

   Venília: As duas... Será uma cena linda... Tenho certeza disto.

   Alécia: Moneta disse que eles viriam do mar, mas não vejo nada a não ser o horizonte de todas as manhãs...

   Venília: Vamos continuar olhando... Como você mesmo disse, eles devem estar chegando...  

 

 

 

Enquete

O que você achou do Conto de Moneta: "Nas Ondas de Rhodes"?

Incomodou (1)
33%

Entendi a mensagem (0)
0%

Gostei (2)
67%

Não gostei. (0)
0%

Não entendi (0)
0%

Não li (0)
0%

Total de votos: 3

Comentários:

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário