O Cego de Ascânio

 

“Não se importará com as cores depois da obsessão.”

  

??? : Mas quantas flores existem aqui, são todas brancas, que lindo...

Antero: Maldita! Ela sabia que isto aconteceria! Foi uma armadilha!

???: Mas por que grita e xinga meu rapaz?

Antero: Quem é você? O que faz aqui? Você enxerga?

??? : Tenho bons olhos sim. Por quê?

Antero: Graças, você por acaso avista uma pétala vermelha? Uma pétala de cravo vermelho.

??? : Não, tudo o que vejo são cravos brancos...

Antero: Mas este campo é tão grande, procure direito!

??? : Já que precisa tanto, por que não procura você?

Antero: Queria! Queria mesmo! Não consigo mais enxergar, estou cego! Não consegue ver que estou desesperado?

??? : E por que precisa tanto encontrar esta pétala vermelha?

Antero: Você não entenderia, você não deve saber o que é...

??? : Com quem que estava gritando antes?

Antero: Não era ninguém também, esqueça, deixe-me sozinho.

??? : Mas... Eu não posso.

Antero: Vá embora! Será que é pedir muito?

??? : Mas eu realmente não posso, não tenho para onde ir.

Antero: Como não tem para onde ir?

??? : Eu não lembro... Eu não sei, só há um branco em minha mente. Única coisa que lembro é de ver este lindo campo de cravos brancos e ao redor estas montanhas de gelo, tudo é tão branco por aqui que até parece a minha mente... E como você chegou aqui?

Antero: Eu fiz um pedido... Pedi para que Moneta revelasse o nome da minha amada e ela escreveu a inicial do seu nome na tal pétala vermelha e a jogou ao vento, então a pétala veio até aqui.

???: E agora que você está cego, como verá a inicial? Como achará a pétala vermelha? Quer que eu te ajude?

Antero: Moneta disse que eu seria o único que conseguiria ver a inicial na pétala...

???: Talvez seja por isto eu não vejo nenhuma pétala vermelha aqui... Mas você está cego!

Antero: Creio que terei de usar minhas mãos, vasculharei cada pétala neste campo, nem que isto dure uma eternidade.

???: E como você saberá que já não pegou na mesma pétala?

Antero: Tenho que arranjar um jeito de destruí-las... Fogo! Vou queimá-las... Você pode me ajudar nisto, a cada pétala que te darei você queima em uma fogueira, pode ser? Bom, já que não tem para onde ir e quer ficar comigo, então me ajude.

???: Sim, pode ser sim. Ficarei muito grata em ficar ao seu lado. Mas vou logo avisando que este campo é enorme e teremos muito trabalho a fazer...

Antero: Não importa o trabalho, só importa o prêmio...

???: Nossa... Mas por que quer tanto saber o nome de sua amada?

Antero: Porque eu espero dia e noite até achar uma mulher que corresponda aos meus sentimentos, não sei se já a conheço, por isto pedi o nome e caso não a conheço, será outra busca que terei de começar depois desta.

???: Puxa... Haja vida para tanta procura assim...

Antero: Desejos, vontades, amor... Ficaria surpresa se soubesse o que eles podem fazer ou o que podemos fazer por eles. Bom, já conversamos demais, acenda uma fogueira para queimar as pétalas...

???: Deixe-me fazer só mais uma pergunta, como foi que ficou cego?

Antero: Bom... Quando a pétala foi trazida pelo vento até aqui, meu olhar era fixo nela, então o Sol apareceu, a luz refletiu em tudo e exatamente tudo ficou branco, não dava nem para ver o chão, então, depois veio a escuridão e me dei conto do que tinha acontecido. Foi aquela maldita, Moneta, a mulher para quem eu fiz o pedido, aposto que ela sabia que isto aconteceria.

???: Bom, então tenho que me lembrar de nunca olhar para o Sol neste campo, Vou acender a fogueira. Já volto...

 

“Não é o amor que é cego, mas sim a obsessão que cega.”

 

 

Enquete

O que você achou do Conto de Moneta "O Cego de Ascânio"?

incomodou (1)
33%

entendi a menssage (1)
33%

gostei (1)
33%

não gostei (0)
0%

não entendi (0)
0%

não li (0)
0%

Total de votos: 3

Comentários

curtiiiiiii fiko masssaaaa ;D

renniton | 20/02/2011

e vc rafa????? achou a sua petala com a inicial? ;P

Novo comentário