Un dialogue du ciel

 

Soleil: Minha luz é dourada, agita e movimenta a vida.
Luna: Minha luz é prateada, acalma e aquieta a vida.
Soleil: Então o que fazes aqui? Deixe-me passar!
Luna: Ora! Que desrespeito meu senhor, deixarei bem claro que quem deve sair do caminho é você.
Soleil: Tu por acaso, sabeis a quem dirige a palavra?
Luna: Sei sim, claro. Com alguém que atrapalha minha passagem.
Soleil: Minha senhora, não brinque com fogo, estou aqui para expandir minha luz para o outro lado e caso a senhora não me deixe passar, serei obrigado a agir.
Luna: Mas é de obvio de que não reagirias contra uma dama, por mais estranho que isso possa parecer, eu também pretendo expandir minha luz para o outro lado.
Soleil: E como a senhora se atreve a pensar de que brilha mais do que eu?
Luna: De certo não possuo brilho maior, mas o brilho é o mesmo, já que vem da mesma fonte de luz.
Soleil: E quem é você para pensar que brilha como eu? Aliás, seu brilho é prateado, o meu é dourado, logo a minha luz é mais intensa que a sua.
Luna: Vai sonhando, sei que fui criada muito depois que você, mas sei bem o que represento, caso não tenha percebido, minha luz é a sua luz.
Soleil: O que? Tens idéia do que acaba de falar? Sou estrela e reino por esta Galáxia.
Luna: De certo não sabe, mas se eu contasse uma coisa, uma coisa que só eu sei.
Soleil: Blasfêmia! Sei de tudo! Tudo é claro e certo para mim.
Luna: Ainda não percebeu que olhaste no espelho? Eu sou você e ao mesmo tempo sou seu oposto.
Soleil: Mas não é possível, não há e nunca haverá imitação minha!
Luna: De certo que não há. És único, porém eu existo para te complementar. És único, porém não és completo.
Soleil: De certo que sou completo! Tenho certeza disso minha senhora! Basta o que falaste até agora, tenho muito a fazer e minha luz não é para ser desperdiçada.
Luna: Não seja cabeça dura e vê se me escuta! Além disso, posso ocultar a sua luz por um bom tempo.
Soleil: Duvido de que não consiga, sou muito maior que a senhora e possuo brilho muito mais intenso.
Luna: Pois deixe-me provar então, veja só como és fácil broquear sua luz, fazer do dia uma noite escura.
 
Ocorre um Eclipse.
 
Soleil: Estou espantado, não sei o que dizer, nunca pensei que algo assim poderia acontecer. Revele-te de uma vez por todas senhora!
Luna: Sou nada mais e nada menos que você, mas em todo o seu oposto. Sou seu espelho.
Soleil: Espelho, estou cansado disso, prove agora que és meu oposto!
Luna: Você leva o dia e eu anuncio a noite. Minha luz é prateada e a sua é dourada. Sou uma senhora e tu um senhor. Enquanto minha luz acalma, a sua agita. Sou de mesmo tamanho seu e capaz de ocultar sua luz e se tu não possui luz, a minha também é ocultada.
Soleil: Mas... Não pode ser, de fato tudo se encaixa, és minha imagem invertida. Agora que te olho direito, és mesmo de meu tamanho. És também serena e tranqüila. Desculpe-me de fui grosso contigo, mas não era de meu conhecimento...
Luna: Não tem problema algum, cedo ou tarde iríamos nos encontrar, como todos encontram seu outro lado. Seja ele melhor ou pior. Seja ele um reflexo no espelho ou uma miragem, até mesmo em sonhos encontramos com nossos “eus” diferentes.
Soleil: Sim, concordo contigo, compreendo agora que sim. Mas diga-me, tens nome?
Luna: Sim, claro, mas fui proibida de dizer-lo.
Soleil: Não faz mal, eu te digo o meu, Soleil, todo o prazer em conhecê-la.
Luna: Sim, de seu nome eu já sabia, só não sabia quem era, mas após encontrá-lo percebi que eras tu o portador de tal nome tão poderoso.
Soleil: Sim, ele me descreve por completo, mas mesmo eu não sabendo seu nome, poderíamos nos encontrar mais vezes?
Luna: Não sei meu senhor, nossos caminhos se cruzaram este dia por uma distração nos nossos caminhos, não sei de haverá de ocorrer novamente.
Soleil: Então se é assim, fico encantado em conhecê-la.
Luna: E o mesmo de minha parte senhor, apesar de já conhecer este seu brilho, vejo agora como és realmente bonito.
Soleil: Muito obrigado pelo elogio, faz tempo que já não escuto algum, a senhora de certo se tornou uma boa companheira.
Luna: O senhor também foi de uma boa companhia, fico grata em conhecê-lo. Devo ir agora, a noite me espera e creio que o dia espera pelo senhor.
Soleil: Sim, mas gostaria que eles esperassem mais um pouco, o curto tempo deu te olhar nos olhos mais uma vez.
Luna: Também  gostaria que houvesse mais tempo, mas a noite sem mim se torna escura e rodeada de trevas, o dia sem você não há.
Soleil: Gostaria tanto de um dia poder olhar as estrelas contigo, quem sabe uma chuva de meteoros um dia desses.
Luna: Seria adorável. Esperarei ansiosa por tal momento.
 
Se olham pela ultima vez e dão as costas um para o outro depois, vão para o outro lado, expandir sua luz  para o outro lado. 
 
 

Enquete

O que você achou do conto "Un dialogue du ciel"?

incomodou bastante (1)
50%

incomodou (0)
0%

gostei (0)
0%

não gostei (0)
0%

não entendi (0)
0%

não li (1)
50%

Total de votos: 2

Comentários:

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário